(31) 98654-0010
contato@associacaobairroburitis.com.br

Notícias

Grupo de Trabalho da Câmara Municipal vai discutir e apontar soluções para as pessoas em situação de rua

De acordo com a Secretaria Nacional de Assistência Social, a população em situação de rua se caracteriza por ser um grupo populacional heterogêneo, composto por pessoas com diferentes realidades, mas que têm em comum a condição de pobreza absoluta, vínculos interrompidos ou fragilizados e falta de habitação convencional regular, sendo compelidas a utilizar a rua como espaço de moradia e sustento, por caráter temporário ou de forma permanente.

Entre os principais fatores que podem levar as pessoas a irem morar nas ruas estão ausência de vínculos familiares, perda de algum ente querido, desemprego, violência, perda da autoestima, alcoolismo, uso de drogas, doença mental, dentre outros.

E para tentar mudar essa realidade e buscar soluções efetivas, a Câmara Municipal de BH aprovou um Grupo de Trabalho na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário que está discutindo o tema “BH Sem Morador de Rua”. Autor do requerimento, o vereador Braulio Lara (NOVO) quer encarar este tema tão complexo e difícil da capital mineira. “Não podemos deixar a cidade da forma como está. Temos diversos problemas de apropriação do espaço público e não podemos achar que a solução aparecerá de um dia para outro. Temos que colocar as cartas na mesa e apontar soluções para as pessoas que vivem em situação de rua”, diz.

Os primeiros passos do Grupo de Trabalho foram uma visita para conhecer o Projeto Canto da Rua Emergencial, localizado na Serraria Souza Pinto, além da primeira audiência pública que discutiu diversos temas ligados aos moradores em situação de rua. “Temos que resgatar a dignidade dessas pessoas e recolocá-los no mercado de trabalho. O que as pessoas querem não é somente comida. Elas querem também saúde, educação e trabalho. Vamos estudar e analisar todos os eixos deste tema, conversar com os entes públicos e estruturar uma metodologia articulada para que possamos apontar soluções efetivas. Por isso, conclamo todos os vereadores de BH, entidades da sociedade civil e órgãos públicos para participar e evoluir neste tema”, afirma Braulio Lara.

Até o momento já foram mapeadas mais de 20 entidades que poderão contribuir com o tema, dentre elas o Ministério Público, Defensoria Pública, Conselho Tutelar, Polícias Militar e Civil, Pastoral de Rua, Igrejas, Associações, ONGs, dentre outras. De acordo com Braulio Lara, a cidade está largada e o sentimento de deterioração dos espaços só tem aumentado. “Temos que sonhar com uma cidade que não tenha morador de rua. Mas para isso acontecer temos que pegar firmes no assunto e resolver o problema unindo toda sociedade e principalmente o poder público”, finaliza.

rodapé--agosto-2021